Marcado como: saúde Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • Joana Ferrão 1:45 pm em July 18, 2016 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , saúde, , solidão na velhice, velhice,   

    Age UK cria mapa interativo mostrando a probabilidade de solidão em 1 milhão de idosos 

    AgeUK-LinkedIn-BannerAge UK é uma organização sem fins lucrativos dedicada a combater a solidão na terceira idade. Age UK está fazendo campanha sobre temas que vão desde a reforma do sistema de cuidados, à melhora da rota de ônibus nas comunidades locais. Age UK explorou os fatores que contribuem para um aumento do risco de solidão na velhice e se as pessoas com níveis semelhantes de risco vivem perto umas das outras. Falámos com Susan Davidson, consultora no projeto, em como o software de mapas interativos InstantAtlas apresenta esta informação.

    Como você tomou conhecimento do software de mapas InstantAtlas?

    Um dos meus colegas usou-o para um outro projeto, no qual as organizações parceiras reuniram dados para permitir a comparação de indicadores sobre os idosos. Quando o projeto terminou, percebemos que o software poderia ser usado de outra maneira; então fizemos treinamento e com a ajuda da equipe de apoio começamos a trabalhar neste projecto.

    Que dados foram usados para compilar o Atlas?

    Os dados vem do English Longitudinal Study of Ageing (ELSA), uma pesquisa longitudinal representativa de pessoas com mais de 50 que vivem na Inglaterra. A pesquisa foi utilizada para identificar seis fatores associados com a solidão em idosos: autopercepção de saúde, tamanho da família, propriedade da habitação, atividades diárias, várias doenças oculares, e estado civil.

    O Escritório Nacional de Estatísticas usa esses indicadores para criar tabelas de dados que cruza os fatores de risco com o censo (2011), que por sua vez nos permite identificar o risco de solidão a nível de bairro. Usamos esses dados para criar mapas que destacam as áreas de maior risco de solidão na velhice.

    Que reações teve de usuários?

    Os usuários nos disseram que gostam muito dos mapas e as reacções têm sido muito positivas. Nossa equipe também gostou muito deles já qye podem enviar links para parceiros e outras organizações e ajudar as pessoas interessadas no nosso trabalho. Os mapas também ajudam quando se trata de campanhas e captação de recursos.

    Como os mapas vão ajudar a combater a solidão na velhice?

    Quando os mapas são usados juntamente com a infoacao disponivel acerca da terceira idade local, estes podem ser usados para melhorar a alocação de recursos através de uma área geográfica e pode nos ajudar a entender se os serviços existentes estão atingindo áreas de necessidade. Os mapas também podem realçar algumas áreas que anteriormente foram ignoradas.

    AGEUK-Loneliness-MapsVocê pretende desenvolver os Atlas no futuro?

    Gostaríamos de incluir outros indicadores, tais como privação e outras condições relacionadas com a idade que nos ajudam a compreender melhor as áreas onde seja necessária uma intervenção. Por enquanto, só precisamos saber que dados estão disponíveis . Também ponderamos a possibilidade de incorporar mapas diferentes.

    Quais são os benefícios de usar InstantAtlas?

    • Temos sido capazes de demonstrar o risco de solidão no nível local de uma forma que pode ser compreendida por todos;
    • Os mapas nos ajudam a encontrar áreas de maior carência de serviços, o que por sua vez ajuda a pedidos de financiamento;
    • Os mapas captam a atenção, o que significa que são uma boa carta de apresentação para o resto do nosso trabalho;
    • As pessoas podem interagir com os mapas;
    • Ninguém mais está fazendo este tipo de trabalho a não ser nós.
    Anúncios
     
  • Joana Ferrão 2:34 pm em January 21, 2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , saúde, ,   

    Agência Sanitária da Região Italiana da Ligúria, Itália 

    Liguria_banner_pt

    InstantAtlas em Ação

    O Dr. Roberto Carloni da Agência Sanitária da Região Italiana da Ligúria explica-nos como utilizar um software de mapas interativos para desenvolver perfis sanitários locais ajuda a analisar necessidades e procura, bem como melhorar o planeamento regional.

    Pode falar-nos um pouco mais do projeto?

    O projeto foi estabelecido para desenvolver o perfil sanitário da região da Ligúria. Estes perfis locais dão aos governantes, aos legisladores e aos tomadores de decisões uma ferramenta que lhes permite ter acesso a informação essencial que os ajuda a identificar e priorizar intervenções locais, realçando as variações entre a necessidade, procura e oferta de serviços em diferentes áreas.

    Utilizámos os indicadores do projeto The European Community Health Indicators (ECHI), que foram consolidados e desenvolvidos pelo projeto European Community Health Indicators Monitoring project (ECHIM). O ECHIM foi desenvolvido em colaboração estreita com os estados membros da União Europeia, o Eurostat, a OMS, a OCDE, entre outras organizações internacionais, e como medida de apoio à Estratégia Sanitária da União Europeia.

    Onde e como ouviu falar do software de mapas InstantAtlas?

    Tivemos conhecimento de que muitas organizações sanitárias já utilizavam o InstantAtlas para criar mapas interativos e quisemos testá-lo no que queríamos fazer.

    Como começaram?

    Numa fase inicial começámos por visualizar o vídeo tutorial mas a assistência que tivemos por parte da equipa de suporte técnico também foi fantástica. Queríamos apresentar os dados por área geográfica (divididos por municipalidades) e foi aqui que mais necessitámos de ajuda.

    Como estão desenvolvendo os mapas interativos?

    Desenvolvemos uma ferramenta que usa perfis de área em Flash utilizando o Mapa Único. Estamos no momento desenvolvendo uma segunda ferramenta que usa perfis de área em Flash utilizando o Mapa Duplo para mostrar a relação que existe entre os indicadores referentes ao estilo de vida e a incidência de doenças crónicas.

    ARS-Liguria-Health-profile-2013

    Que tipo de reações teve aos mapas interativos?

    As reações foram extremamente positivas, tanto de especialistas como do público em geral.

    Quais os benefícios de utilizar este software de mapas?

    • A ferramenta é fácil de usar e compreender por todos os que a utilizam;
    • Os utilizadores não necessitam instalar software adicional em seus computadores; tudo o que necessitam é ligação à internet;
    • Os perfis sanitários são fáceis de personalizar para que os utilizadores possam encontrar a informação que necessitam rapidamente.
     
  • Joana Ferrão 3:36 pm em December 5, 2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , saúde, ,   

    Serviço de Informática do NHS País de Gales 

    Health-Maps-Wales_pt

    Como os Mapas Sanitários do País de Gales se tornaram um recurso valioso para ajudar profissionais de saúde a identificar padrões, tendências e variações em indicadores sanitários através da visualização de dados.

    Introdução

    O Serviço de Informática do NHS  País de Gales recolhe e administra, em nome do NHS País de Gales e do Governo,  informação proveniente de diversas bases de dados.  Isto inclui informação de admissões hospitalares, da base de dados da National Community Child Health, consultas do ambulatório, bem como registos de nascimento e óbito.

    Com este projeto, o objetivo do Serviço de Informática era desenvolver uma plataforma online onde fosse possível aceder a toda esta informação, bem como providenciar dados sanitários aos profissionais de saúde e comissários em regiões de menor dimensão. Na opinião dos profissionais do Serviço, disponibilizar os resultados por áreas menores utilizando os resultados dos Censos daria aos profissionais um melhor entendimento das necessidades de saúde locais e do plano de custos.

    O Começo do Projeto

    Foi desenvolvida uma ferramenta interativa chamada Mapas Sanitários do País de Gales em colaboração com o Governo, que mostrava em mapas indicadores sanitários de diversas categorias. A equipa trabalhou em estreita colaboração com o Public Health Wales e o Welsh Government para definir uma metodologia consistente para cada um dos indicadores. Foram desenvolvidos cerca de 1000 indicadores, muitos dos quais com dados referentes a um período de 10 anos e a múltiplas áreas geográficas.

    Sally Cox, analista de Informação, disse: “Tínhamos visto InstantAtlas ser utilizado em outros websites de informação sanitária do Reino Unido, tal como o Diabetes UK e o Observatório de Saúde Pública e nos pareceu que ia de encontro às nossas necessidades.”

    De encontro às necessidades

    Os Mapas Sanitários do País de Gales permitem aos usuários explorar os dados por área, tendências ao longo de um período de tempo e fazer comparações a nível local e nacional. Em 2012 o website teve mais de 4500 visitas, a maior parte proveniente do NHS, Governo e investigadores, bem como académicos, redes clinicas, grupos de pacientes e Instituições de Caridade. Os 3 conjuntos de dados mais explorados foram as admissões hospitalares por intoxicação alcoólica, incidência de câncer e taxa de mortalidade por doença cardíaca.

    Sally diz: “A simples análise visual de dados através do uso destes mapas interativos proporciona um suporte valioso aos profissionais de saúde, permitindo-lhes identificar padrões e tendências. O website também proporciona informação vital para trabalho de investigação. De um modo geral, os Mapas providenciam um melhor uso da informação sanitária de Gales o que, em última análise, melhora o gasto de dinheiro público.”

    No norte de Gales, os Mapas estão a ser usados para monitorizar as taxas de Amigdalite para assegurar que o acompanhamento é baseado em evidências. Depois de se constatar que o norte de Gales tinha uma taxa de amigdalites muito alta foram feitos esforços para ajudar os clínicos de otorrinolaringologia e os médicos de família a atuar em conformidade.

    Jo Charles, Diretor adjunto de Saúde Publica do Governo de Gales diz: “Monitorizar a efetividade de ações localizadas é crucial para as administrações de organismos de saúde pública bem como para as suas equipas. Enquanto que as melhoras que se observam em cada área podem ser avaliadas  pela respetiva administração, a análise desta pequenas cirurgias feita pelos mapas é, neste momento, a única fonte de informação que permite a comparação entre todas elas.”

    Health-Maps-Wales-Home

    Planos para o Futuro

    Sally diz: “Pretendemos adicionar mais informação e funcionalidades aos mapas incluindo relatórios de perfil de área, e planejamos colaborar no futuro com outras unidades de prestação de cuidados de saúde, como os ‘primary care’.”

    Nota: os Primary Care no Reino Unido incluem  Médicos de Familía, dentistas, farmacistas, optometristas, o serviço telefónico NHS111  e os Centros Abertos NHS.

    Beneficios Chave

    • Providencia uma visão oficial única e a capacidade de comparar dados sanitários através das administracões de Saúde no País de Gales.
    • Os analistas perdem menos tempo com análises comuns, utilizando-o para trabalhar em projetos
    • Os usuários têm melhor acesso a informacão complexa uma vez que é apresentada num formato visualmente atraente e fácil de compreender.
    • Os Mapas Sanitários do País de Gales encorajaram mais parcerias no seio do NHS, através de trabalho colaborativo
    • Os Mapas Sanitários do País de Gales melhoram o uso eficiente de informação de alta qualidade
     
  • Joana Ferrão 1:24 pm em August 15, 2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , , , saúde, ,   

    Ministério da Saúde Argentino 

    Ministerio-Salud-Argentina_PT

    Introdução

    Um dos objetivos do Ministério da Saúde Argentino é apoiar o planeamento e coordenação dos serviços de saúde feito por diferentes autoridades sanitárias em diferentes áreas geográficas de cada região do país. Isto significa fornecer uma visão detalhada das necessidades sanitárias em diferentes áreas geográficas.

    O Começo do projeto

    Rodrigo Del Monaco trabalha na Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Para que fosse mais fácil a autoridades sanitárias e investigadores de saúde identificar necessidades e áreas problemáticas, foi desenvolvida uma ferramenta online chamada Software de Vigilância Sanitária. Rodrigo diz que queria apresentar os dados de um modo interativo utilizando um software de mapas. InstantAtlas foi visto como a ferramenta ideal para complementar a que já existia.

    “Um colega da Organização Pan-Americana da Saúde estava utilizando este software para apresentar dados sobre surtes de gripe. Este projeto foi apresentado a um ex diretor do departamento de vigilância que achou que seria possível e proveitoso implementá-lo na Argentina,” disse.

    De encontro às necessidades

    O departamento já criou inúmeros relatórios utilizando dados epidemiológicos, taxas de prevalência de doenças e dados provenientes de laboratórios. Rodrigo diz que estes estão sendo consultados pelas partes interessadas do sistema Nacional de Vigilância Sanitária, que consideram estas apresentações dinâmicas extremamente úteis.

    Agência Nacional de Vigilância Sanitária

    “Eles gostam das funcionalidades integradas e do facto dos dados serem apresentados de maneira organizada, pronta a ser utilizada. Os mapas têm impacto visual e isto é importante quando se trata de mostrar a propagação de doenças infecciosas,” diz Rodrigo.

    Planos para o Futuro

    Rodrigo diz que o departamento continuará a utilizar InstantAtlas e que há diversos módulos a ser desenvolvidos, utilizando conjuntos de diferentes dados. “Estamos planeando adicionar mais funcionalidades e tirar partido dos modelos disponíveis,” diz.

    Benefícios Chave

    Rodrigo diz que o maior beneficio é ter informação online, atualizada num sistema já existente e que não requere manutenção. “Toda a parte de desenvolvimento já esta feita; adicionalmente, a informação é fácil de consultar e nos agradam muito as apresentações visuais,” diz.

     
  • Joana Ferrão 11:05 am em May 21, 2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , deficiência, , , saúde,   

    Comissão de Qualidade e Segurança da Nova Zelândia 

    HQSC

    Contexto

    A Comissão de Qualidade e Segurança da Nova Zelândia (New Zealand’s Health Quality & Safety Commission, em Inglês) foi criada para assegurar que todos os Neozelandeses tivessem os melhores cuidados de saúde e à pessoa com deficiência tendo em conta os recursos disponíveis. O seu raio de acção é muito abrangente e inclui: providenciar aconselhamento ao Ministro da Saúde em como a qualidade e segurança na prestação de serviços de suporte à saúde à pessoa com deficiência podem ser melhorados; conduzir e coordenar melhoramentos na segurança e qualidade da prestação de cuidados de saúde; identificar indicadores chave de saúde e segurança (tais como acidentes que resultem em lesões ou morte) para informar, reportar e monitorizar melhoras na segurança e qualidade, incluindo o cumprimento em relação a metas nacionais.

    Catherine Gerard é analista sénior em Qualidade e Avaliação da prestação de cuidados de Saúde na Comissão. Trabalha com Richard Hamblin no Atlas Neozelandês das Variações nos Cuidados de Saúde e também no desenvolvimento de medidas de qualidade e segurança.

    O Começo

    Na Nova Zelândia, o Ministro da Saúde é responsável pela recolha de dados sobre saúde e à pessoa com deficiência a nível nacional. Uma grande quantidade de dados é recolhida e os tópicos abrangidos incluem: eventos hospitalares, farmacêuticas, serviços de maternidade, testes de laboratório, registos de saúde mental e registos de cancro.

    A Comissão combina todos estes dados para identificar variações em áreas e tópicos seleccionados e analisa-os para os expor em apresentações direccionadas a diferentes partes interessadas (tais como profissionais de saúde, gestores, planeadores, gestores de fundos hospitalares e investigadores). A comissão escolheu InstantAtlas por ser o software de mapas online a garantir a melhor ferramenta de apresentação online para realçar as variações.

    “A ideia era apresentar os dados aos utilizadores de uma forma interactiva”, diz Catherine. “A maneira segundo a qual os dados nacionais têm sido apresentados ao longo do tempo não tem sido a mais simples.”

    De encontro às necessidades

    O Atlas Neozelandês das Variações nos Cuidados de Saúde mostra agora mapas fáceis de consultar, gráficos, tabelas e comentários que realçam as variações por área geográfica e uso de informação de serviços específicos de saúde.

    O Atlas foi desenhado para estimular o debate sobre como as variações existem ao invés de fazer julgamentos sobre qual seria o resultado ou nível ‘ideal’ da prestação de serviços, com o objectivo de os melhorar. As áreas a analisar no Atlas são escolhidas por um grupo de especialistas clínicos e consumidores, baseadas numa lista de critérios tais como incapacidade causada pela doença, o potencial para modificar e identificar variações, a oportunidade para reduzir desigualdades, e o alinhamento com iniciativas já existentes de melhoramento de qualidade e programas de trabalho nacionais.

    Catherine diz: “Ter profissionais de saúde envolvidos fez sempre parte da nossa abordagem e o Atlas tem-lhes dado uma nova perspectiva daquilo que na prática está a acontecer,” diz. “É uma boa maneira de apresentar dados nacionais interactivamente e de ter pessoas envolvidas, ajudando-as a absorver o conteúdo rapidamente.”

    HQSC-Cardiovascular-Atlas

    Desenvolvimentos Futuros

    A Comissão está a considerar uma maneira de apresentar variações a nível regional. “ Em alguns dos nossos dados há uma variação geográfica limitada mas ao mesmo tempo consistente. É importante mostrar isto não dando demasiada ênfase à variação regional,” diz Catherine. “ Vamos continuar a desenvolver novos atlas ao longo dos próximos anos e planeamos continuar a adicionar domínios e melhorar o que já temos.”

    Benefícios Chave

    • O Atlas Neozelandês das Variações nos Cuidados de Saúde está a ajudar a Comissão a realçar a variação na provisão de cuidados de saúde a um nível regional.
    • A apresentação visual de dados tem sido útil a um grande leque de utilizadores.
    • Está a ajudar a estimular questões e debates sobre os cuidados de saúde necessários a este nível.
    • A apresentação interactiva ajuda os utilizadores a interpretar rapidamente uma grande quantidade de dados.
    • O Atlas providenciou um foco para um programa de trabalho que vai continuar a provocar debates sobre a prestação de cuidados.
     
  • Joana Ferrão 3:00 pm em October 2, 2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , saúde, ,   

    Instituto Nacional de Saúde e Bem-Estar Finlandês 

    Contexto

    O Instituto Nacional de Saúde e Bem-Estar Finlandês é um Instituto de pesquisa e desenvolvimento que trabalha sob a alçada do Ministro Finlandês da Saúde e Assuntos Sociais. O Instituto serve a sociedade em geral, a comunidade científica e os decisores do governo central e dos municípios. O seu objectivo é promover a saúde e o bem-estar na Finlândia. Dentro do Instituto, há um departamento de Saúde, Capacidade Funcional e Bem-Estar. O seu trabalho centra-se nos mais importantes assuntos de saúde pública, os seus determinantes, e em monitorizar a saúde da população e seus subgrupos.

    O departamento conduz trabalho de pesquisa e desenvolvimento com um quadro de parceiros colaborativos para promover a saúde e a capacidade funcional dos finlandeses, e para destacar a monitorização da saúde entre subgrupos da população a um nível local. O departamento fornece dados que ajudam a preencher lacunas de informação em saúde, capacidade funcional e bem-estar, bem como informação nos determinantes que a influenciam. A principal lacuna de informação foi identificada como sendo a monitorização local desses determinantes em adultos. A monitorização da saúde infantil também é uma área onde mais informação é necessária.

    O começo

    Falamos com Risto Kaikkonen, responsável pelo projecto, sobre a apresentação de dados e o seu papel em ajudar a explicar tendências na saúde a uma audiência mais vasta. De acordo com Risto, o ímpeto foi a necessidade de os decisores  terem um melhor entendimento dos dados a um nível geográfico mais baixo – áreas geográficas menores que regiões. “Tínhamos informação relevante sobre a Finlândia e as suas regiões, mas não a um nível mais local. Dados retirados de um questionário feito em relação ao estilo de vida e experiências pessoais dos cidadãos não estavam disponíveis a um nível local ou até regional. Monitorização de saúde a um nível local com a possibilidade de seguir as tendências entre os subgrupos populacionais é necessária. Isto faz parte das responsabilidades oficiais para com as municipalidades Finlandesas,” diz Risto.

    “Com InstantAtlas temos sido capazes de combinar cinco ou seis fontes diferentes de dados com intervalos de confiança requeridos, que não seriamos capazes de obter com outro sistema de reporte. O que também é muito útil é a possibilidade de apresentar resultados com reportes de perfil. A mais-valia dos reportes de perfil é que agora podemos incluir sub grupos na monitorização. Isto é especialmente útil quando temos de combinar dados numa categoria sócio económica.”

    De encontro às necessidades

    O departamento tem a função chave de desenvolver sistemas que monitorizem desigualdades na saúde. Isto envolve a recolha de questionários a  nível local e registar os dados que incluem categorias sócio económicas e divulgar os resultados. Para preencher a lacuna em informação com relação aos adultos, o departamento lançou um novo Estudo Regional de Saúde e Bem-Estar (em inglês: Regional Health and Well-Being Study (ATH). Risto é o investigador responsável pelo Estudo e diz que a visualização de dados permitiu à equipa dispender mais tempo na compreensão de tendências do que em pesquisas académicas. “Metade do nosso tempo pode agora ser gasto a compreender tendências e fazendo análises posteriores. Para alem disso, responsáveis podem agora tomar melhores decisões baseadas no que os reportes interactivos mostram.”

    A reacção dos usuários foi muito positiva e a possibilidade de aprofundar os dados tem sido muito bem recebida. Risto nos disse que os investigadores estão muito satisfeitos porque agora podem produzir reportes em pouco tempo, uma vez que os resultados podem ser consultados com muita rapidez.

    Desenvolvimentos Futuros

    Risto espera poder incluir mais detalhes e reportes feitos à medida. No futuro, mais tendências podem ser adicionadas com comentários, para fornecer um melhor entendimento dos resultados. O objectivo é incluir nos reportes mais informação descritiva na relevância e interpretação de resultados. “Os números necessitam de explicações”, diz Rito.

    “Olhamos para isto como um recurso que podemos desenvolver. Por isso, esperamos que no futuro, mais conjuntos de dados possam ser incluídos. Provavelmente, seremos capazes de produzir relatórios mostrando como os recursos estão sendo utilizados – o que vai ser muito útil para organismos de financiamento,” diz.

    Benefícios Chave

    –       A visualização de dados está a poupar tempo ao departamento, que pode agora ser gasto em análises;

    –       Responsáveis podem agora basear suas decisões em informação detalhada, referente a  níveis geográficos mais baixos;

    –       Um largo número de usuários tem agora acesso a informação sobre saúde e desigualdades sócio económicas, a um nível local;

    –       Comparações entre áreas geográficas diferentes são agora muito mais fáceis de fazer que antes;

    –       Os reportes são flexíveis e podem ser apresentados de  maneiras diferentes– para se adaptarem a diferentes audiências.

     
  • Joana Ferrão 1:44 pm em May 25, 2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: CDC, incapacidades, informação estatística, , saúde, tabelas   

    Centros de Controle e Prevenção de Doenças 

    Contexto

    O Centro de Controle e Prevenção de Doenças é uma agência governamental que foi estabelecida para proteger a saúde e promove a qualidade de vida através da prevenção e controlo de doenças, lesões e incapacidades. Parte do seu trabalho é colher talento e informações que permitam criar ferramentas que as pessoas e comunidades necessitam para proteger a sua saúde.

    O Sistema de Dados de Incapacidade e Saúde promove a saúde e o bem-estar entre pessoas com incapacidades. Apresentar dados por estados relativos à saúde de pessoas com incapacidades é uma parte crucial do programa e conduziu ao desenvolvimento do Sistema de Dados de Incapacidade e Saúde. Esta é uma ferramenta para monitorizar a incapacidade a nível estadual desenhada para apoiar parceiros, investigadores e o público em geral na avaliação da saúde e bem-estar das pessoas com incapacidades.

    Esta ferramenta foi desenvolvida pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças na Divisao de Desenvolvimento Humano e Incapacidade (em inglês: Division of Human Development and Disability – DHDD) no Centro nacional de Defeitos Congénitos e Deficiências de Desenvolvimento (em inglês: National Center on Birth Defects and Developmental Disabilities – NCBDDD). Foi desenvolvido sob a direcção de Brian Armour, Alissa Cyrus, e Michelle Sloan do team de Investigação sobre Deficiência e Epidemiologia da Divisão de Desenvolvimento Humano e Incapacidade.

    O começo

    O team por detrás da ferramenta explica que a visualização de dados desempenhou um papel muito importante no seu desenvolvimento. “Um dos nossos objectivos era permitir que os utilizadores sacassem informação em questões de saúde para pessoas com incapacidades de um modo fácil de aceder,” diz Brian Armour.

    “O CDC tinha uma solução à medida mas nós sentimos que, desenvolvê-la seria muito caro. Ouvimos falar de InstantAtlas e depois de o vermos nos agradou a ideia de podermos fazer as alterações e actualizações facilmente, à medida que o website se desenvolvesse.”

    Brian diz que ter os dados prontos a usar levou tempo devido a sua grande quantidade. A Divisão de Desenvolvimento Humano e Incapacidade destaca 3 tipos de dados: deficiências, sofrimento psicológico, e despesas associadas a incapacidades, todos eles compilados ao longo de um período de 5 anos.

    O site foi desenvolvido para que os dados possam ser visualizados em mapas interactivos e em tabelas. A informação é apresentada aos utilizadores numa variedade de formatos acessíveis, incluindo: Mapas interactivos e tabelas standard ou de alto contraste que podem ser personalizadas ou baixadas. Os dados também são organizados em categorias mais abrangentes que depois se dividem em resultados de saúde específicos tais como tabagismo, índex de massa corporal e consumo de álcool.

    De encontro às necessidades

    “A ferramenta foi desenvolvida com os nossos parceiros em mente e isso significa que tinha de ser de utilização intuitiva, personalizável e que os dados tinham de ser fáceis de encontrar,” diz Bryan. “Antecipámos que alguns utilizadores fora destes grupos que fossem utilizadores não experientes de informação estatística. Pusemos muito trabalho em utilizadores chave, particularmente com pessoas com deficiências. Isso nos conduziu a mapas de alto contraste que são mais facilmente vistos por utilizadores com dificuldades visuais. Incluímos também informação fácil de consultar em como usar a ferramenta,” diz Bryan.

    “Tivemos boas reacções. Mais especificamente, as pessoas têm-se mostrado satisfeitas com os dados disponíveis. Esta é a primeira vez que eles conseguem aceder a dados estaduais sobre incapacidades, portanto estamos indo ao encontro de uma necessidade que antes não estava satisfeita.”

    Para além do feedback positivo, algumas pessoas fizeram sugestões para elementos que podem ser incluídos no projecto. “Utilizar InstantAtlas melhorou nosso posicionamento e agora somos vistos como pioneiros e inovadores por outros programas de saúde. Tivemos alguns deles solicitando demonstrações e pedindo ajuda para desenvolver seus próprios sistemas de dados.”

    Desenvolvimentos Futuros

    O próximo passo para o team será incluir perfiles que permitirão aos estados ter acesso à saúde de pessoas com incapacidades através de um variado numero de indicadores. Isto é importante para os estados que querem cumprir as metas estabelecidas pelo governo, bem como monitorar o seu desempenho.

    Benefícios Chave

    • O Sistema de Dados de Incapacidade e Saúde recolheu dados, os apresentou num formato acessível para que possam ser usados para melhorar a saúde e bem-estar para pessoas vivendo com incapacidades nos Estados unidos da América.
    • Os dados são agora apresentados num formato consistente e estandardizado para permitir comparações precisas entre os diferentes estados.
    • O team tem utilizado a visualização de dados para desenvolver o primeiro sistema estadual de monitorização de incapacidades.
     
    • José Renato Gimenez 7:39 pm em julho 23, 2012 Link Permanente | Resposta

      Aqui no Brasil não temos um governamental, mas já temos ferramentas privadas que fazem um monitoramento e trabalham a prevenção de doenças.
      Nesse caso recomendo o VitalBox
      Notícia catraca livre http://catracalivre.folha.uol.com.br/2012/07/conheca-a-nova-plataforma-virtual-de-saude-vitalbox/

    • Adriana Almeida 2:19 am em outubro 3, 2012 Link Permanente | Resposta

      Boa noite,
      Eu gostaria de fazer o meu TCC sobre o “A importância do enfermeiro no CDC do Brasil”. Vocês teriam materiais e artigos para implementar o trabalho?
      Desde ja agradeço
      Adriana Almeida, Santo André SP

      • Joana Ferrão 6:33 pm em outubro 3, 2012 Link Permanente | Resposta

        Boa tarde Adriana,

        A Geowise fornece somente o software de apresentação de dados InstantAtlas ao CDC Brasil. Por esse motivo,não temos materiais e artigos que possam ajudar à elaboração do seu trabalho. Lamento não podermos ajudar. Sugiro que contacte directamente o CDC Brasil. Sucesso para o seu TCC.

        Os meus cumprimentos,

        Joana Ferrão

  • Joana Ferrão 3:01 pm em March 6, 2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: , , políticas de saúde, saúde, ,   

    Unidade de Informação de Saúde de Vitória, Austrália 

    Contexto

    O objectivo nuclear do Departamento de Saúde é conseguir a melhor saúde e bem-estar para todos os que vivem em Vitoria e seu papel abrange planejamento, desenvolvimento de políticas de financiamento e regulação dos prestadores de serviços de saúde.
    A Unidade de Informação de Saúde (em Inglês: The Health Intelligence Unit) fornece informações de alta qualidade sobre a saúde e seus determinantes, da população Vitoriana, para melhorar o desenvolvimento de políticas de saúde e planejamento de serviços.  Decisões que afetam a saúde incluem: que o público faca escolhas saudáveis, que os profissionais exerçam no seu melhor julgamento, que os gestores melhorem os processos e os políticos a alocação de recursos.  O Departamento de Saúde acredita que uma melhor informação leva a melhores decisões, que por sua vez, contribuem para uma melhor saúde e bem-estar para Vitorianos.  A actividade principal da Unidade compreende o seguinte: abastecimento e recolha dos dados sobre a saúde, transformação de dados em informação útil e a divulgação da mesma para apoiar o planejamento e tomada de decisão.
    A Unidade realiza uma série de actividades, incluindo um Questionário Anual sobre a Saúde da População no Estado de Vitória (em Inglês: Victorian Population Health Survey). O Questionário foi criado em 1998 e recolhe informação de qualidade no Estado, os níveis regionais e locais da área do governo, sobre o estilo de vida, bem-estar e saúde de vitorianos adultos, com idade igual ou superior a 18 anos.  Uma grande quantidade de dados são coletados, analisados e relatados a cada ano. A Unidade decidiu que as informações de uma área específica também podiam ser disseminadas através de um atlas de saúde.  Queriam encontrar uma solução que fosse fácil de usar, tecnicamente sofisticada e de baixo custo.

    Introdução

    Nós conversámos com Yelena Nunn, Diretor Sênior de Projetos na Unidade, sobre o desenvolvimento do mesmo.  Yelena diz que quando a sua equipe experimentou o software InstantAtlas ficou muito impressionada com o seu potencial.
    “Todas as funções que precisávamos estavam disponíveis no pacote básico e fomos capazes de apresentar os nossos dados num Atlas muito rapidamente. Descobrimos que não precisámos de nenhum treinamento formal, porque o software é muito intuitivo”, diz ela. “Começámos a usá-lo para exibir dados sobre a prevalência da obesidade e diabetes em Vitória, por área de governo local. Quando nós mostramos a outros departamentos o que poderíamos fazer com o software, também eles se mostraram muito interessados em explorar o seu potencial para exibir outros tipos de informação. ”

    (clique na imagem para explorar o mapa)

    Indo de encontro às necessidades

    Usando os dados que a Unidade  havia coletado ao longo dos anos, a equipe desenvolveu um Atlas da Saúde no Estado de Vitória. Esta é uma apresentação gráfica das estatísticas de saúde, indicadores, padrões geográficos, e as tendências ao longo do tempo.  O Atlas é público e Yelena diz que a intenção é que qualquer um possa aceder aos dados e trabalhar com eles para extrair a informação que necessitam.  “Ele também oferece uma ferramenta para monitorar o desempenho das intervenções de saúde e apresentar os resultados de pesquisas feitas na área da saúde. Os dados e mapas são relevantes para qualquer pessoa interessada na saúde da comunidade em geral, e em particular para os pesquisadores de saúde, epidemiologistas, gestores de dados e especialistas de SIG “, diz Yelena. Quanto ao feedback, Yelena diz que isso tem sido muito positivo, tanto mais que a Unidade foi convidada a produzir Atlas semelhantes para mais sete regiões de saúde no interior do estado de Vitória.

    Desenvolvimentos futuros

    A Unidade já produziu Atlas de Saúde individuais para sete regiões dentro de Vitória, com os dados de cada uma das 79 áreas do governo local. O próximo passo, de acordo com a Yelena, é atualizar o Atlas com os dados coletados mais recentemente. “Isso permitirá que os usuários vejam a mudança ao longo do tempo, e é particularmente valiosa para as pessoas do Departamento que não têm ferramentas de GIS e precisam visualizar os padrões geográficos dos dados disponíveis”, diz ela. “Isso significa que será capaz de identificar rapidamente as áreas que precisam de atenção.”

    Principais benefícios

    • InstantAtlas ajudou a Unidade a combinar os dados de múltiplas fontes para criar Atlas que podem ser usados para um vista imediata do estado da saúde
    • Comparações entre áreas do governo local são agora possíveis, permitindo aos políticos identificar áreas prioritárias
    • Grandes quantidades de dados podem ser apresentadas de uma forma visualmente estimulante e de fácil acesso
    • Os usuários individuais podem criar relatórios personalizados utilizando dados específicos
    • Os dados agora são compartilhados de forma transparente dentro do Departamento e todos têm acesso aos mesmos dados, estejam trabalhando dentro do governo ou sendo usuários públicos
     
  • Joana Ferrão 11:38 am em October 4, 2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: , INCAP, intervenção, , , saúde   

    Instituto da Nutrição da América Central e Panamá (INCAP) 

    Sobre o Instituto da Nutrição da América Central e Panamá

    O Instituto da Nutrição da América Central e Panamá foi fundado em 1949. Tem como missão, apoiar os Ministros de Saúde da América Central e  República Dominicana nas áreas da segurança alimentar e nutrição e, em último recurso, ajudar a melhorar as condições nutricionais de cada população local através de intervenções baseadas em evidências.

    A sede do Instituto da Nutrição da América Central e Panamá está situada na cidade da Guatemala; não obstante, tem escritórios em cada estado membro: Belize, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá e República Dominicana.

    Atlas Regional da América Central e República Dominicana

    Falámos com German Rafael Gonzalez Diaz, que trabalha na Unidade de Planeamento, Monitorização e Avaliação do INCAP. German explicou que, disponibilizar informação de saúde e nutrição é uma parte importante do trabalho da sua equipa. Apesar da função principal do INCA não ser a produção de “dados em bruto”, apoia instituições e grupos na recolha  fiável dos mesmos. Na maioria dos casos, a equipa do INCAP recolhe informação oficial de cada país relativa a causas e consequências de má nutrição, assim como outras variáveis que possam ser utilizadas para análise da efectividade de programas de nutrição. Isto significa monitorizar um grande número de indicadores, que podem ser facilmente exibidos para uso de um sem número de utilizadores.

    Atlas de Alimentos e Nutrição da Guatemala

    German tentou  fazer isto de várias maneiras antes de se deparar com a aplicação InstantAtlas. Pôde confirmar que, InstantAtlas poderia ajudar a mostrar informação, como indicies de obesidade, subnutrição, pobreza, cobertura de serviços, desigualdades socioeconómicas, etc, em cada pais da América Central, num formato fácil de utilizar e compreender.

    Passos Iniciais

    Preparar os relatórios não foi difícil, segundo German. “Achei o InstantAtlas muito fácil de utilizar e não tivemos necessidade de passar por muitos processos para ter os indicadores e a informação disponíveis. Você pode ter tudo pronto em poucos passos” – diz. “O nosso maior problema foi a recolha de dados ao nível da comunidade, porque não estavam disponíveis para alguns indicadores”.

    Indo de encontro ao objectivos

    Os relatórios estão a ser utilizados por oficiais de ministros da Saúde na América Central que necessitam de informação, para os ajudar a tomar decisões acerca do melhoramento de iniciativas na área da saúde pública nos seus países. German disse, que acharam os relatórios muito úteis e que  têm utilizado a sua informação para direccionar os seus programas. “Dá aos Ministros da Saúde a capacidade de participar nos problemas da saúde ou nutrição”, diz German. “O facto de a nossa informação estar imediatamente disponível online a qualquer altura é certo, quando temos discussões acerca da nossa política. Oficiais de diferentes países agradecem ter disponível informação do seu país para análises internas, assim como para fazer comparações entre estados membros, que é crucial numa região que está a tentar integrar-se e coordenar politicas”.

    Atlas de Alimentos e Nutrição da Nicarágua

    Desenvolvimentos Futuros

    German acredita que os relatórios têm sido um sucesso para o INCAP e que os ministros da Saúde estão receptivos a alargar o uso do InstantAtlas. Eles querem ver mais relatórios com diferentes indicadores. German diz que a opção de mapa duplo é algo que ele quer explorar, assim como adicionar outros indicadores.

    “Uma função interessante e útil na análise geográfica  é a que permite a correlação de indicadores, por exemplo, uma análise geográfica da pobreza explicando a ocorrência de malnutrição crónica ou, a que nos mostra a ausência de correlação entre o estado nutricional da população municipal e a distribuição do orçamento alocado a melhorias sociais na mesma zona. Prevemos que a opção de análise de desempenho será útil para monitorizar o progresso dos nossos indicadores através do tempo”.

    Atlas de Alimentos e Nutrição de El Salvador

    Benefícios Chave

    • InstantAtlas  é fácil de utilizar e os resultados têm permitido ao INCAP apresentar informação de um modo relevante
    • Ministros da Saúde estão a utilizar a informação para assegurar que os programas de intervenção estão a ser direccionados da melhor maneira
    • O INCAP está a ir de encontro aos seus objectivos ao apoiar os Ministros da Saúde
     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar