Marcado como: Atlas Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • Joana Ferrão 2:10 pm em September 24, 2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: , Atlas, , , ,   

    Ninti One, Austrália 

    Blog-Banner_PT

    Introdução

    A Ninti One é uma Organização Sem Fins Lucrativos que cria oportunidades para os habitantes da Austrália remota, através da aplicação de pesquisa, inovação e desenvolvimento no seio da comunidade. A organização trabalha principalmente com as comunidades Aborígenes e dos habitantes das Ilhas do estreito de Torres (e outras organizações associadas). Nós falámos com Professor Slade Lee sobre o uso do software de mapas InstantAtlas na NintiOne.

    Quando começaram a utilizar InstantAtlas?

    A NintiOne começou a utilizar o software de mapas InstantAtlas há dois anos atrás para apresentar informação e investigação que pudesse ajudar – partes interessadas, governo, legisladores e o público em geral – a compreender melhor os problemas que afetam as pessoas que vivem em regiões remotas da Austrália.

    O que procuravam na altura?

    O nosso trabalho está muito focado nas áreas cuja densidade populacional é muito baixa, mas cuja importância social e cultural seja significativa. Isto equivale a 83% da área territorial da Austrália. Estávamos a procura de um software de visualização de dados que pudéssemos utilizar para reunir dados e informação de uma maneira simples de compreender.

    Ninti-One-labourforce-statistics-atlas

    O software InstantAtlas é um veículo muito promissor e útil para este propósito e nós criámos vários recursos conhecidos por Remote Australia Online Atlas (RAOA). Isto pode ser acedido através do Resource Centre, que providencia outras ferramentas, tais como procura bibliográficas em bases de dados.

    O que é o Atlas da Austrália Remota?

    Atualmente, já quatro Atlas integrados inseridos na coleção e todos utilizam dados dos últimos 3 censos nacionais realizados pelo Australian Bureau of Statistics em 2001, 2006 e 2011. A geografia de base está dividida em Statistical Local Areas (SLA). Os quatro Altlas deste grupo têm disponíveis dados demográficos, de comércio e indústria e estilo de vida – estes estão restritos aos mapas classificados como ‘remotos’ ou ‘muito remotos’.

    Ninti-One-median-income-atlas

    Qual é o próximo passo para o Atlas das Regiões Remotas Australianas?

    O próximo passo é construir Atlas novos e não relacionados utilizando os nossos dados, fruto da nossa investigação. O primeiro Atlas será o ‘Atlas da Arte’. Este Atlas é baseado num projeto de pesquisa que reuniu uma grande quantidade de dados sobre artistas Aborígenes e outros aspetos relacionados com arte, presente nas regiões remotas Australianas. Vamos também utilizar os nossos próprios shapefiles e conjuntos de dados.

    Adicionalmente, temos dezenas de projetos nos maiores distritos da Austrália Remota (incluindo trabalho em sociologia mineira, educação e industria pastoral, turismo, alimentos do bosque, mobilidade populacional e alterações climáticas). Nenhum destes atlas vai produzir bases de datos, mas os investigadores principais sabem que InstantAtlas está a sua disposição e que podem apresentar o seu trabalho em Atlas personalizados.

    O quão fácil é trabalhar com InstantAtlas?

    Partimos do princípio de que cumpriria com o prometido mas não tínhamos ideia do quanto. Tivemos de alocar uma pessoa só para reunir todos os dados que tínhamos numa folha de excel. Eu fui chamado posteriormente para ajudar a organizá-los.

    Com o suporte do distribuidor Australiano InstantAtlas Success with Software fomos capazes de criar os mapas que quisemos. Sem dúvida que teria sido mais fácil para técnicos mas qualquer pessoa com conhecimentos razoáveis de informática, tempo e prática, consegue trabalhar muito bem com o software.

    Como é que InstantAtlas está a ajudá-lo a cumprir os seus objetivos?

    A nossa administração está maravilhada com os Atlas e a reação que temos recebido dos acionistas tem sido muito positiva. O concelho de administração está empenhado em criar mais atlas online, o que mostra que estão contentes com este recurso, encarando-o como um meio efetivo para divulgar o nosso trabalho.

    O que é que os utilizadores acham do Atlas?

    A reação tem sido muito positiva e encorajadora. Foi-nos só pedido para fornecer instruções simples com os Atlas e foi o que fizemos, utilizando o botão User Guide, como ajuda adicional ao InstantAtlas Help que é providenciado no botão Technical Guide.

    Quais são os benefícios da utilização de InstantAtlas?

    • Ajudou-nos a apresentar informação geográfica num formato interativo e que pode ser usado repetidamente para elaborar mais Atlas;
    • A representação gráfica é muito interativa – e os utilizadores gostam dessa característica;
    • Temos uma ferramenta muito útil para mostrar o nosso trabalho e que é muito atrativa aos olhos dos nossos acionistas.
     
  • Joana Ferrão 2:00 pm em September 1, 2014 Link Permanente | Resposta
    Tags: Atlas, ,   

    Como a Binley’s utiliza o software de mapas online InstantAtlas 

     

    Binley's

    Os especialistas em soluções de informação médica Binley’s utilizam InstantAtlas em vários projectos

    O consultor da Binley’s Kamal D’Nigel revela como utilizou InstantAtlas em mais de 20 projectos e explica como o software de mapas online lhe permitiu criar atlas que podem ser consultados por qualquer pessoa à procura de informação sobre concessionários do NHS (Servico Nacional de Saúde).

    Nos fale um pouco mais do Atlas que desenvolveram

    O Atlas mostra, num mapa duplo, os Clinical Commissioning Groups (CCGs) e a Academic Health Science Networks. Isto significa que qualquer pessoa que procure qual o CCG responsável pela prestação de serviços numa determinada área o pode fazer, clicando no mapa. Disponibilizamos informação vária, desde dados demográficos, orçamento disponível e número de Médicos de Família disponíveis em cada grupo.

    binleys-online-ccg-nhs-structure-interactive-map

    Como começou o projecto?

    Tínhamos um sistema online para criar mapas, mas queríamos uma ferramenta que fosse mais fácil de utilizar, algo que mesmo alguém sem experiência de SIG pudesse consultar.

    Qual a sua opinião acerca de InstantAtlas?

    Cumpre o que promete – permite criar mapas rapidamente e é muito facil de utilizar. E sempre que tenho alguma dúvida sou prontamente esclarecido pela equipe de suporte.

    Teve alguma reacção relativamente ao Atlas no NHS?

    O Atlas do NHS foi publicado em Fevereiro e tem sido muito útil a mostrar as capabilidades de todos os nossos clientes, ao mesmo tempo que disponibiliza informação relevante. Os links disponibilizados no Atlas estão ligados a dados que temos armazenados – uma fonte de informação riquíssima. A reação tem sido muito positiva e os clientes gostam muito do que têm à sua disposição. Também apresentámos este serviço internamente e foi muito bem recebido.

    Prevê alteracções ao Atlas NHS?

    Agora que o volume de trabalho requerido para o projecto NHS abrandou, podemos começar a adicionar mapas de outras organizações e mostrar como a oferta dos servicos se sobrepõe. De seguida, por exemplo, vamo-nos focar em 10 concessionários especializados e os servicos que prestam em relação a equipes já existentes no terreno.

    De que outras maneiras estão utilizando InstantAtlas?

    Acabámos um projecto para uma companhia farmacêutica. Este projecto consistiu na criação de vários Atlas, contendo informação dos CCG e de outras fontes. Estes Altas podem ser utilizados offline e online, o que significa que um elemento da equipe de vendas que está viajando sem conexão à internet os pode consultar.

    Quais os beneficios de utilizar InstantAtlas?

    • Temos uma solução que pode ser usada por pessoas sem experiência de SIG;
    • O modelo Mapa Duplo nos permite comparar 2 organizações ao mesmo tempo;
    • Criar o Atlas foi muito fácil e o quando necessitámos de apoio técnico, este foi rápido e esclarecedor;
    • O Atlas mostra aos nossos clientes o que podemos fazer com informação sobre a prestação de cuidados de saúde.
     
  • Joana Ferrão 11:05 am em May 21, 2013 Link Permanente | Resposta
    Tags: Atlas, , deficiência, , , ,   

    Comissão de Qualidade e Segurança da Nova Zelândia 

    HQSC

    Contexto

    A Comissão de Qualidade e Segurança da Nova Zelândia (New Zealand’s Health Quality & Safety Commission, em Inglês) foi criada para assegurar que todos os Neozelandeses tivessem os melhores cuidados de saúde e à pessoa com deficiência tendo em conta os recursos disponíveis. O seu raio de acção é muito abrangente e inclui: providenciar aconselhamento ao Ministro da Saúde em como a qualidade e segurança na prestação de serviços de suporte à saúde à pessoa com deficiência podem ser melhorados; conduzir e coordenar melhoramentos na segurança e qualidade da prestação de cuidados de saúde; identificar indicadores chave de saúde e segurança (tais como acidentes que resultem em lesões ou morte) para informar, reportar e monitorizar melhoras na segurança e qualidade, incluindo o cumprimento em relação a metas nacionais.

    Catherine Gerard é analista sénior em Qualidade e Avaliação da prestação de cuidados de Saúde na Comissão. Trabalha com Richard Hamblin no Atlas Neozelandês das Variações nos Cuidados de Saúde e também no desenvolvimento de medidas de qualidade e segurança.

    O Começo

    Na Nova Zelândia, o Ministro da Saúde é responsável pela recolha de dados sobre saúde e à pessoa com deficiência a nível nacional. Uma grande quantidade de dados é recolhida e os tópicos abrangidos incluem: eventos hospitalares, farmacêuticas, serviços de maternidade, testes de laboratório, registos de saúde mental e registos de cancro.

    A Comissão combina todos estes dados para identificar variações em áreas e tópicos seleccionados e analisa-os para os expor em apresentações direccionadas a diferentes partes interessadas (tais como profissionais de saúde, gestores, planeadores, gestores de fundos hospitalares e investigadores). A comissão escolheu InstantAtlas por ser o software de mapas online a garantir a melhor ferramenta de apresentação online para realçar as variações.

    “A ideia era apresentar os dados aos utilizadores de uma forma interactiva”, diz Catherine. “A maneira segundo a qual os dados nacionais têm sido apresentados ao longo do tempo não tem sido a mais simples.”

    De encontro às necessidades

    O Atlas Neozelandês das Variações nos Cuidados de Saúde mostra agora mapas fáceis de consultar, gráficos, tabelas e comentários que realçam as variações por área geográfica e uso de informação de serviços específicos de saúde.

    O Atlas foi desenhado para estimular o debate sobre como as variações existem ao invés de fazer julgamentos sobre qual seria o resultado ou nível ‘ideal’ da prestação de serviços, com o objectivo de os melhorar. As áreas a analisar no Atlas são escolhidas por um grupo de especialistas clínicos e consumidores, baseadas numa lista de critérios tais como incapacidade causada pela doença, o potencial para modificar e identificar variações, a oportunidade para reduzir desigualdades, e o alinhamento com iniciativas já existentes de melhoramento de qualidade e programas de trabalho nacionais.

    Catherine diz: “Ter profissionais de saúde envolvidos fez sempre parte da nossa abordagem e o Atlas tem-lhes dado uma nova perspectiva daquilo que na prática está a acontecer,” diz. “É uma boa maneira de apresentar dados nacionais interactivamente e de ter pessoas envolvidas, ajudando-as a absorver o conteúdo rapidamente.”

    HQSC-Cardiovascular-Atlas

    Desenvolvimentos Futuros

    A Comissão está a considerar uma maneira de apresentar variações a nível regional. “ Em alguns dos nossos dados há uma variação geográfica limitada mas ao mesmo tempo consistente. É importante mostrar isto não dando demasiada ênfase à variação regional,” diz Catherine. “ Vamos continuar a desenvolver novos atlas ao longo dos próximos anos e planeamos continuar a adicionar domínios e melhorar o que já temos.”

    Benefícios Chave

    • O Atlas Neozelandês das Variações nos Cuidados de Saúde está a ajudar a Comissão a realçar a variação na provisão de cuidados de saúde a um nível regional.
    • A apresentação visual de dados tem sido útil a um grande leque de utilizadores.
    • Está a ajudar a estimular questões e debates sobre os cuidados de saúde necessários a este nível.
    • A apresentação interactiva ajuda os utilizadores a interpretar rapidamente uma grande quantidade de dados.
    • O Atlas providenciou um foco para um programa de trabalho que vai continuar a provocar debates sobre a prestação de cuidados.
     
  • Joana Ferrão 3:01 pm em March 6, 2012 Link Permanente | Resposta
    Tags: Atlas, , políticas de saúde, , ,   

    Unidade de Informação de Saúde de Vitória, Austrália 

    Contexto

    O objectivo nuclear do Departamento de Saúde é conseguir a melhor saúde e bem-estar para todos os que vivem em Vitoria e seu papel abrange planejamento, desenvolvimento de políticas de financiamento e regulação dos prestadores de serviços de saúde.
    A Unidade de Informação de Saúde (em Inglês: The Health Intelligence Unit) fornece informações de alta qualidade sobre a saúde e seus determinantes, da população Vitoriana, para melhorar o desenvolvimento de políticas de saúde e planejamento de serviços.  Decisões que afetam a saúde incluem: que o público faca escolhas saudáveis, que os profissionais exerçam no seu melhor julgamento, que os gestores melhorem os processos e os políticos a alocação de recursos.  O Departamento de Saúde acredita que uma melhor informação leva a melhores decisões, que por sua vez, contribuem para uma melhor saúde e bem-estar para Vitorianos.  A actividade principal da Unidade compreende o seguinte: abastecimento e recolha dos dados sobre a saúde, transformação de dados em informação útil e a divulgação da mesma para apoiar o planejamento e tomada de decisão.
    A Unidade realiza uma série de actividades, incluindo um Questionário Anual sobre a Saúde da População no Estado de Vitória (em Inglês: Victorian Population Health Survey). O Questionário foi criado em 1998 e recolhe informação de qualidade no Estado, os níveis regionais e locais da área do governo, sobre o estilo de vida, bem-estar e saúde de vitorianos adultos, com idade igual ou superior a 18 anos.  Uma grande quantidade de dados são coletados, analisados e relatados a cada ano. A Unidade decidiu que as informações de uma área específica também podiam ser disseminadas através de um atlas de saúde.  Queriam encontrar uma solução que fosse fácil de usar, tecnicamente sofisticada e de baixo custo.

    Introdução

    Nós conversámos com Yelena Nunn, Diretor Sênior de Projetos na Unidade, sobre o desenvolvimento do mesmo.  Yelena diz que quando a sua equipe experimentou o software InstantAtlas ficou muito impressionada com o seu potencial.
    “Todas as funções que precisávamos estavam disponíveis no pacote básico e fomos capazes de apresentar os nossos dados num Atlas muito rapidamente. Descobrimos que não precisámos de nenhum treinamento formal, porque o software é muito intuitivo”, diz ela. “Começámos a usá-lo para exibir dados sobre a prevalência da obesidade e diabetes em Vitória, por área de governo local. Quando nós mostramos a outros departamentos o que poderíamos fazer com o software, também eles se mostraram muito interessados em explorar o seu potencial para exibir outros tipos de informação. ”

    (clique na imagem para explorar o mapa)

    Indo de encontro às necessidades

    Usando os dados que a Unidade  havia coletado ao longo dos anos, a equipe desenvolveu um Atlas da Saúde no Estado de Vitória. Esta é uma apresentação gráfica das estatísticas de saúde, indicadores, padrões geográficos, e as tendências ao longo do tempo.  O Atlas é público e Yelena diz que a intenção é que qualquer um possa aceder aos dados e trabalhar com eles para extrair a informação que necessitam.  “Ele também oferece uma ferramenta para monitorar o desempenho das intervenções de saúde e apresentar os resultados de pesquisas feitas na área da saúde. Os dados e mapas são relevantes para qualquer pessoa interessada na saúde da comunidade em geral, e em particular para os pesquisadores de saúde, epidemiologistas, gestores de dados e especialistas de SIG “, diz Yelena. Quanto ao feedback, Yelena diz que isso tem sido muito positivo, tanto mais que a Unidade foi convidada a produzir Atlas semelhantes para mais sete regiões de saúde no interior do estado de Vitória.

    Desenvolvimentos futuros

    A Unidade já produziu Atlas de Saúde individuais para sete regiões dentro de Vitória, com os dados de cada uma das 79 áreas do governo local. O próximo passo, de acordo com a Yelena, é atualizar o Atlas com os dados coletados mais recentemente. “Isso permitirá que os usuários vejam a mudança ao longo do tempo, e é particularmente valiosa para as pessoas do Departamento que não têm ferramentas de GIS e precisam visualizar os padrões geográficos dos dados disponíveis”, diz ela. “Isso significa que será capaz de identificar rapidamente as áreas que precisam de atenção.”

    Principais benefícios

    • InstantAtlas ajudou a Unidade a combinar os dados de múltiplas fontes para criar Atlas que podem ser usados para um vista imediata do estado da saúde
    • Comparações entre áreas do governo local são agora possíveis, permitindo aos políticos identificar áreas prioritárias
    • Grandes quantidades de dados podem ser apresentadas de uma forma visualmente estimulante e de fácil acesso
    • Os usuários individuais podem criar relatórios personalizados utilizando dados específicos
    • Os dados agora são compartilhados de forma transparente dentro do Departamento e todos têm acesso aos mesmos dados, estejam trabalhando dentro do governo ou sendo usuários públicos
     
  • Joana Ferrão 2:05 pm em November 23, 2011 Link Permanente | Resposta
    Tags: Atlas, , , Federação Internacional de Diabetes, Infobank   

    Diabetes UK – informar, comunicar e divulgar 

    Ao utilizar InstantAtlas, a Diabetes UK apresenta informação online, tal como prestação e performance de serviços regionais e nacionais (Informação extraída de questionários). A facilidade com que os utilizadores podem analisar as estatísticas e o poder atractivo dos gráficos está ajudando esta organização a fornecer um suporte melhorado para pessoas com diabetes e a fazer campanha para o melhoramento de serviços de suporte local com o objectivo de cumprir metas nacionais.

    Diabetes UK é a maior organização do Reino Unido a trabalhar no apoio a pessoas com diabetes, na angariação de fundos, na divulgação e ajuda a doentes que vivem na condição de diabéticos. Estima-se que existam 2.35 milhões de pessoas com diabetes em Inglaterra. Um número que se prevê aumentar para 2.5 milhões em 2010 – 9% dos quais directamente relacionados com o aumento da obesidade.

    A missão desta organização de beneficência é “melhorar a vida das pessoas com diabetes e trabalhar para um futuro sem a doença”. Duas das áreas centrais para apoiar esta missão: elaborar campanhas e prestar informações.

    Monitorizar localidades

    Se não fosse o esforço da Diabetes UK, a informação sobre a diabetes estaria muito dispersa e difícil de localizar. Na prossecução da sua missão, a organização tem como objectivo fornecer uma fonte central de informação na prestação de serviços e direitos. O seu público alvo são pessoas com diabetes, profissionais de saúde, Organizações de Atenção Básica  (PCO), a sua rede de campanha e trabalhadores da organização.

    A Diabetes UK compara informação a nível de cuidados primários de uma variedade de fontes em relação às metas do Departamento de Saúde  (DOH)  do Nacional Service Framework. Esta campanha oferece informação essencial para a organização que lhe permite fazer pressão por melhorias nacionais e regionais onde se observa que a prestação de serviços fica  abaixo da meta e onde as desigualdades no acesso aos serviços são identificados.

    O estado da Nação

    Ate há pouco tempo, a organização fornecia esta informação impressa num relatório anual ou noutros documentos estáticos. Reconheceu porém que os usuários seriam melhor servidos se a informação fosse disponibilizada de uma forma mais oportuna.  Também se sentiu que podia ser fornecido um melhor serviço, permitindo-lhes ter acesso às informações directamente e personalizar as buscas para ir de encontro aos seus próprios interesses;  um processo que também reduziria a demanda de suporte, que sobrecarregava activistas e funcionários.  Resolver essas necessidades iria acelerar o progresso da organização em cumprir a sua missão.

    “Porque queríamos tornar a informação e as análises mais acessíveis, decidimos investigar como tornar tudo disponível online, um portal único que contivesse toda a informação sobre a diabetes”, diz Charlotte Gosden, analista de informação na Diabetes UK. “Também queríamos um modo claro de apresentar informação estatística. Queríamos mostrar tendências e comparações, como gráficos, para revelar informação escondida nas estatísticas e evidenciar fracos desempenhos”.

    O Banco de Dados (Infobank) no InstantAtlas

    Depois de avaliarem diversos pacotes de software e serviços , em Janeiro de 2007 a Diabetes UK lançou o Banco de Dados (InfoBank) utilizando InstantAtlas, uma ferramenta de software da Geowise, permitindo aos seus utilizadores agrupar dados de várias fontes e criar e publicar perfis de área on-line ,  painéis espaciais, tabelas personalizadas, mapas e gráficos.

    “O InstantAtlas nos permite agrupar dados de várias fontes e em formatos diferentes e, em seguida, apresentá-los por localidade, em um único formato”, disse Gosden. “Os usuários podem visualizar  informações actualizadas  sobre prestação de serviços e ver o nível de cumprimento do seu serviço local. Agora é mais fácil do que quando nós produzíamos relatórios impressos”.

    Estatísticas sobre prestação de serviços são apresentadas através de gráficos atraentes que permitem destacar diferenças de desempenho local, regional e nacional, e facilitar a observação de comparações com as metas do National Framework Service.

    Comunicações poderosas

    Usando relatórios InstantAtlas interactivos,  a Diabetes UK pode demonstrar fácil e claramente que algumas regiões são melhores do que outras na prestação de um serviço, como o rastreio  ou a educação.  No futuro,  também vai destacar se, em certas localidades, as pessoas de certos grupos etários específicos, etnia ou género estão em falta nos registos.

    “O visual poderoso de InstantAtlas nos permitem comunicar claramente as questões com todos os nossos públicos”, disse Gosden. “Podemos analisar a prestação de serviços local versus metas e transformar muito facilmente estes dados em gráficos  para tornar a nossa luta assertiva e mais eficaz.  Pessoas com diabetes também podem ver o desempenho da sua localidade”.

    Dados sobre a prevalência esperada podem ser comparados com as taxas de diagnóstico real. “Onde o diagnóstico é significativamente abaixo das expectativas, podemos reforçar a campanha para aumentar a triagem  em uma região”, disse Gosden.

    Como parte de sua campanha,  a Diabetes UK também defende o uso do Banco de Dados (Infobank) para comissários de cuidados de saúde para que eles possam ver as provas por si mesmos. “Via InstantAtlas, o Banco de Dados (Infobank)  mostra o nível das organizações de cuidados primários  comparando-os com metas, ajudando-os a planejar e prestar serviços futuros”, disse Gosden.

    Cliente feliz

    Com os dados online, o volume de trabalho no team da Charlotte foi reduzido significativamente, uma vez que os usuários são encaminhados directamente para o Banco de Dados.  Os usuários também receberam bem a ideia de serem capazes de executar análises online de maneira fácil e intuitiva .

    InstantAtlas tem feito a diferença na Diabetes UK?   Os funcionários da organização estão certos que sim. “InstantAtlas é uma ferramenta de comunicação que tem verdadeiramente vindo a apoiar-nos em nossa missão de melhorar a vida das pessoas com diabetes”, concluiu Gosden. “Nossa administração, comunicação de imprensa e equipes de campanha acham que InstantAtlas é uma ferramenta fantástica!”

    __________________________

    InstantAtlas e a  Federação Internacional de Diabetes

    (clique na imagem para ver os números da Diabetes no Brasil)

    A aplicação InstantAtlas foi utilizada pela Federação Internacional de Diabetes para criar a 5 edição do Atlas de Diabetes. O mapa interactivo online apresenta uma visão mundial, permitindo aos utilizadores fazer a comparação dos números da doença seleccionando diferentes países. Os usuários também podem escolher entre um número de diferentes conjuntos de dados:  despesas médias por pessoa relacionadas com a diabetes, número de mortes atribuíveis à doença, etc.

    O atlas é baseado em novos dados, que indicam que o número de pessoas que vivem com diabetes deverá aumentar de 366 milhões em 2011-552.000.000 em 2030, a menos que medidas urgentes sejam tomadas.

    IDF diz que isso equivale a aproximadamente três novos casos a cada dez segundos. Em algumas das regiões mais pobres do mundo como a África,  onde as doenças infecciosas têm sido, tradicionalmente,  o foco dos sistemas de cuidados de saúde, os casos de diabetes devem aumentar em 90 por cento em 2030.  Pelo menos 78 por cento das pessoas na África não são diagnosticados e não sabem que estão vivendo com diabetes.

    A divulgação destes números e do mapa interactivo on-line são lançados na sequência da  reunião de Setembro de 193 Chefes de Estado e de Governo no encontro de Altos dirigentes da ONU em Nova Iorque para chegar a acordo sobre uma declaração política sobre Doenças Não-Transmissíveis (DNT), incluindo diabetes.

     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar