Concelho de Perth e Kinross- avaliação do estado atual do ambiente com a visualização de dados

Contexto

O Concelho de Perth e Kinross  proporciona e facilita uma ampla gama de serviços, incluindo educação, ordenamento do território, estradas,  habitação,  cuidados para pessoas vulneráveis, parques,  limpeza de rua, desenvolvimento económico e coleta de lixo.

O Concelho elabora um relatório anual para fornecer uma avaliação do estado atual do ambiente e ajuda a monitorar tendências. O relatório também fornece uma forte evidência de base para avaliar a eficácia dos esforços do Concelho para lidar com as pressões ambientais no uso da terra e nos termos de sustentabilidade. O primeiro Relatório de Estado do Ambiente foi publicado em Setembro de 2007. Os indicadores são atualizados à medida que os dados estão disponíveis e alguns deles são usados ​​no Perth & Kinross Single Outcome Agreement. O Concelho considera o relatório como uma ferramenta essencial para alcançar os objetivos de sustentabilidade, melhoria do ambiente e proporcionar ao público o acesso à informação.

Os indicadores do Estado do Ambiente são organizados em nove áreas-chave que incluem: as alterações climáticas, qualidade do ar, paisagem e geologia, a biodiversidade, o ambiente histórico, transporte, resíduos, comunidades e energia.

Falámos com Shelley McCann no Serviço do Ambiente sobre a decisão do Concelho de usar a apresentação de dados para os indicadores do Estado do Ambiente. Shelley explica que eles estavam usando PDFs, mas sentiu que os relatórios eram estáticos e os dados já estavam desactualizados no momento em que apareciam no relatório.

“Também queria apresentar informações de forma que pudessem ser analisadas ​​espacialmente e que pudessem ser facilmente acedidas ​​e compreendidas pela maioria das pessoas.  As imagens, de modo geral, ajudam a entender os dados”, diz ela.  “A idéia foi atualizar, numa base contínua, ao invés de uma vez por ano.”

Introdução

O Concelho decidiu usar InstantAtlas e Shelley esteve envolvida na equipe de projeto que ficou encarregue de trabalhar os indicadores e de criar os relatórios dinâmicos online. Cerca de 100 conjuntos de dados foram agregados para uma geografia comum, os modelos foram construídos e acrescentadas séries de tempos.

O resultado é o Mapeamento do Ambiente – um mapa interativo que permite aos usuários ver rapidamente qual o desempenho da sua área (por exemplo, distrito, geografias intermediária) em relação a outras áreas e em relação à média regional.

Ele fornece informações sobre o ambiente e a comunidade de Perth e Kinross tais como quão limpo o ar é, quais são as áreas suscetíveis a inundações e quantas pessoas são capazes de pegar facilmente um ônibus a partir de suas casas.

Satisfazer a necessidade

Shelley diz que o  Mapeamento do Ambiente é usado por membros do público que querem olhar para os seus bairros, porque inclui uma série de indicadores que se relacionam à qualidade de vida. Ele também é usado por parceiros da comunidade de planejamento e indivíduos dentro e fora do Concelho, na compilação de relatórios ambientais, como parte do processo de Avaliação Ambiental Estratégica. O documentos disponiveis para guardar (arquivos PDF) também são usados ​​em muitos documentos do Concelho. “Acima de tudo, nos garante ter uma fonte de dados comum entre o Concelho e todos os nossos parceiros, sejam eles do campo da saúde ou da habitação”, diz Shelley.

O feedback, até agora, tem sido muito positivo e os usuários identificaram o fato de os relatórios poderem ser adaptados para seu uso individual como um grande benefício.

Desenvolvimentos futuros

“Estamos procurando expandir o Mapeamento do Ambiente em mais do que uma ferramenta base que gera relatórios e estendê-lo a outros setores, como o desenvolvimento econômico. Estamos também esperando que ele possa vir a desempenhar um papel crucial na nossa estratégia de capacidade renovável “, diz Shelley.

Principais benefícios:

  • O Mapeamento do Ambiente oferece aos indivíduos a liberdade de criar seus próprios relatórios feitos sob medida – remover o ónus das equipes do Concelho;
  • Os indivíduos são mais propensos a questionar os dados e pensar por si mesmos- do que precisam exatamente?;
  • Os dados são atualizados e consistentes, o que dá maior precisão quando se trata de fazer comparações e realizar análises de séries temporais;
  • Tempo é salvo por não terem que produzir relatórios estáticos;
  • Os usuários são capazes de fazer uma interpretação dos dados espacial que é útil quando se comparam áreas rurais e urbanas.


Anúncios