Observatório do Cidadão da Cidade do México

Contexto

O Observatório do Cidadão da Cidade do México trabalha em conjunto com o Governo Local, com organizações que representam os direitos dos cidadãos e com Universidades. Um dos seus objectivos é comunicar dados de uma maneira simples de interpretar, não só por investigadores mas por toda a população. Se antes utilizavam pdf’s para apresentar os dados, mais recentemente decidiram que era necessário analisar outros modos de a disponibilizar.

Salomón González Arellano, Professor Investigador no Observatório, disse-nos que uma das principais motivações foi tornar os dados acessíveis a uma grande quantidade de pessoas – incluindo jovens que necessitam de informação para os projectos da escola.

“Sentimos que não necessitávamos de um  típico servidor de mapas, já que isso requeria um investimento muito grande e nem todos poderiam utilizá-lo”, comenta. “Decidimos encontrar outra maneira de comunicar o nosso trabalho”.

O começo

O Observatório teve o seu primeiro contacto com a aplicação InstantAtlas em 2005 através de uma agência de design que estava interessada num Sistema de Informação Geográfico (GIS). Contudo, passaram-se vários anos antes que obtivessem financiamento. Uma vez garantido, a equipa começou a trabalhar os dados para que pudessem ser apresentados num formato intuitivo. O Observatório recolhe dois tipos de dados. Os primeiros, são indicadores urbanos da Cidade do México, que incluem dados de transportes, rede de água, e segurança – dados fornecidos pelo governo. Os segundos, são resultados de avaliações, incluindo dados subjectivos sobre como os cidadãos avaliam os serviços públicos.

(Clique na imagem)

Indo de encontro às necessidades

Salomón explicou que, agora que os dados estão acessíveis através da aplicação InstantAtlas, podem ser utilizados por muitas pessoas. “Os principais usuários são pessoas ligadas ao Governo Local. Estão muito interessados em saber como os cidadãos mexicanos avaliam os serviços públicos. As informações que providenciamos ajudam a compreender se os serviços facilitados vão se encontro às necessidades. Outro grupo muito importante de usuários é o das organizações sociais e também estudantes que querem criar os seus próprios relatórios”.

Salomón realça que obter dados num formato simples é um catalisador para uma participação mais concreta por parte dos cidadãos. “As pessoas são menos passivas, querem fazer mais pela sua comunidade, baseando-se na informação que prestamos”, assinala.

(Clique na imagem para explorar o mapa)

Desenvolvimentos Futuros

O Observatório está agora a considerar mudar para o Servidor InstantAtlas – porque querem expandir o número de áreas e a complexidade da informação que proporcionam. Há também planos para trabalhar em conjunto com outras organizações.

“Estamos muito contentes com o lugar onde chegámos, mas gostávamos de dar um passo mais à frente e posicionar o observatório como uma ferramenta para a transformação social – sempre dissemos que a informação que providenciamos não é para peritos. Queremos que todos tenham um acesso melhorado à informação local”, finaliza.

(Clique na imagem para explorar o mapa)

Benefícios Chave

  • A apresentação de dados dinâmica está a ajudar mais pessoas no Governo a compreender a importância da informação local.
  • O Observatório tem poupado tempo ao disponibilizar os dados online, em vez de criar relatórios personalizados.
  • Pessoas de outras organizações, que não do Governo Local, podem agora ter acesso a informação local pertinente.

Anúncios